NOVO

SIADAP – Com as alterações segundo DL 12/2024

Maria Leitão Pereira

Sob Consulta

176ED/SIADAP

Description

Apresentação das alterações ao Sistema Integrado de Avaliação do Desempenho na Administração Pública (SIADAP) introduzidas pelo Decreto-lei n.º 12/2024 de 10 janeiro, com foco nas implicações para os municípios.

Objetivos Gerais
Compreender a estrutura e impacto das alterações introduzidas pelo DL 12/2024 no SIADAP, além de explorar sua periodicidade, requisitos, efeitos da avaliação e regras de sucessão de avaliadores.
Objetivos Especificos
- Analisar em detalhe as alterações específicas introduzidas pelo DL 12/2024 no SIADAP.
- Examinar as implicações das alterações nos procedimentos e critérios de avaliação do SIADAP.
- Identificar as principais fases do SIADAP 3 e compreender os requisitos e etapas de cada uma.
- Avaliar os parâmetros de avaliação do SIADAP, incluindo competências, resultados e contratualização.
- Analisar os efeitos da avaliação de desempenho no desenvolvimento profissional e na gestão de recursos humanos das organizações.
- Identificar e discutir os principais desafios e erros na formulação de objetivos e indicadores de desempenho no contexto do SIADAP.
- Explorar estratégias eficazes para comunicar os resultados da avaliação aos avaliados, reconhecendo a importância desse momento na relação laboral.
Programa
1. A Apresentação Geral do SIADAP.
2. As Alterações do DL 12/2024.
3. Periodicidade e Requisitos.
4. Regras Aplicáveis à Sucessão de Avaliadores.
5. As Fases do SIADAP 3.
6. Parâmetros de Avaliação:
6.1. Competências;
6.2. Contratualização;
6.3. Avaliação.
7. Os Efeitos da Avaliação de Desempenho.
8. Análise dos Principais Erros na Formulação de Objetivos e nos Indicadores.
9. Comunicar o Resultado da Avaliação ao Avaliado: Momento Chave da Relação Laboral.
Destinatários/as
Os destinatários são os profissionais que trabalham na área de Recursos Humanos em organizações governamentais e entidades da Administração Pública: -Gestores e técnicos de Recursos Humanos que têm a responsabilidade de implementar, administrar e supervisionar o SIADAP dentro das suas organizações, garantindo que todos os processos estejam alinhados com as diretrizes legais e os objetivos institucionais. - Avaliadores e avaliados que desempenham tanto o papel de avaliado quanto o papel de avaliador no âmbito do SIADAP. - Profissionais envolvidos na conceção e implementação de programas de formação relacionados com o SIADAP, visando o desenvolvimento das competências necessárias para uma avaliação de desempenho eficaz.
Pré-Requisitos
Este curso não apresenta pré-requisitos
Coordenador Pedagógico
Mariza Moreira
Metodologias de Formação
O Certificado Profissional da INCURSO é emitido no fim da formação através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO), na área criada especificamente para o registo das ações de formação não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações, ao abrigo do n.º 6 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro e Portaria n.º 474/2010, de 8 de Julho, ficando associado ao Passaporte Qualifica - Registo Individual de Competências do formando.
- No final do curso os formandos que obtiverem registarem assiduidade mínima de 80% e aproveitamento têm direito a um Certificado de Formação Profissional conforme legislação em vigor.
- Os formandos sem assiduidade mínima e/ ou aproveitamento recebem uma Declaração de Frequência de Formação Profissional, na qual onde constará carga horária e módulos da formação.
Métodos de Avaliação
Enquanto componente do processo formativo, procura-se garantir um sistema formal e rigoroso de avaliação da formação.

- Avaliação das Aprendizagens que considera os seguintes momentos: diagnóstica (aferição de pré-requisitos), contínua (participação, empenho, atividades realizadas) e sumativa (exercícios e testes e/ou exames finais, se aplicável).
- Avaliação da formação, realizada com recurso a inquéritos de satisfação de formandos, de formadores e de coordenadores.
Certificação
O Certificado Profissional da INCURSO é emitido no fim da formação através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO), na área criada especificamente para o registo das ações de formação não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações, ao abrigo do n.º 6 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro e Portaria n.º 474/2010, de 8 de Julho, ficando associado ao Passaporte Qualifica - Registo Individual de Competências do formando.
- No final do curso os formandos que obtiverem registarem assiduidade mínima de 80% e aproveitamento têm direito a um Certificado de Formação Profissional conforme legislação em vigor.
- Os formandos sem assiduidade mínima e/ ou aproveitamento recebem uma Declaração de Frequência de Formação Profissional, na qual onde constará carga horária e módulos da formação.
Requisitos de Frequência
Requisitos de Frequência para a Formação Online: Cada formando deverá estar munido de um computador com ligação estável à internet. É recomendável para o bom funcionamento da sessão e interação entre formador e formando, deverão estar assegurados: webcam, microfone e colunas ou auscultadores. É desejável que os formandos tenham conhecimentos de sistema operativo windows na ótica de utilizador. Recomenda-se que seja feito acesso prévio à plataforma para testar os sistemas e a acessibilidade.
Mais informação
Testemunhos