O Poder das Competências Socioemocionais – eliminar o bullying e promover o bem-estar em casa e nos espaços educativos

Formador/a: A definir

Sob Consulta

O Poder das Competências Socioemocionais – Eliminar o Bullying e Promover o Bem-estar

Pedir informações »

Pedir informações »

PED/PCSE

Description

As crianças precisam de um conjunto equilibrado de competências cognitivas e socio-emocionais para ser bem-sucedidas na vida moderna. De acordo com os estudos da OCDE, a capacidade de atingir objetivos, de trabalhar eficientemente em grupo e de lidar com as emoções será essencial para enfrentar os desafios do século XXI. Enquanto todos reconhecem a importância de competências socio-emocionais como perseverança, sociabilidade e autoestima, não há suficiente informação sobre como trabalhá-las. No final desta ação, professores e pais poderão avaliar e aperfeiçoar os seus esforços no desenvolvimento dessas competências junto dos mais jovens.

Objetivos Gerais
Promover junto das crianças e jovens as competências socio-emocionais com impacto transversal nas suas vidas; Valorizar a aprendizagem entre pares, os tempos de reflexão individual, os momentos de partilha, o respeito, bem como a cooperação e o trabalho de equipa; Promover a criação de um ‘espaço seguro’, onde cada um se sinta respeitado e valorizado; Explorar os indicadores de bem-estar individual e progresso social (educação, desempenho no mercado de trabalho, saúde, vida familiar, cidadania e satisfação com a vida).
Programa
1. O papel da educação e das competências socioemocionais no mundo atual (0 h), 2. Contextos de aprendizagem, competências e progresso social: uma estrutura conceitual (0 h), 3. Competências que promovem o sucesso para toda a vida (0 h), 4. Contextos de aprendizagem que promovem a formação de competências (0 h), 5. Políticas, práticas e avaliações que ampliam as competências socioemocionais (0 h), 6. Como fomentar e avaliar a aquisição de competências socioemocionais? (12 h)
Destinatários/as
Professores de todos os ciclos de ensino. Educadores de Infância, Técnicos de Ação Educativa, Técnicos de Intervenção Precoce, Técnicos de Ação Social ou Assistentes Sociais. (Escolas, Instituições, Associações e outras Organizações da Sociedade Civil dos Países da CPLP).
Pré-Requisitos
Este curso não apresenta pré-requisitos
Formador/a
A definir
Coordenador Pedagógico
Mariza Moreira
Metodologias de Formação
Todas as ações de formação abrangem métodos e técnicas de formação diversificadas, adequadas pelos formadores às características dos formandos, aos conteúdos a abordar e ao momento formativo. Recorremos sempre a metodologias adequadas aos adultos. Nesse sentido, a formação é desenvolvida com uma componente essencialmente prática, tendo em conta os interesses e as motivações do formando, de modo a permitir-lhe aperfeiçoar os seus saberes e capacidades, rentabilizando-as em todas as esferas da sua vida. Por estes motivos, privilegiamos a utilização de metodologias não-diretivas, nomeadamente, de métodos ativos, uma vez que estes facilitam a responsabilidade a autonomia do formando na construção dos saberes, envolvendo-o na pesquisa, análise, reflexão e resolução de situações-problema.
Métodos de Avaliação
Em termos de avaliação, enquanto componente do processo formativo, procura-se garantir um sistema formal e rigoroso de avaliação, beneficiando as seguintes metodologias: Avaliação diagnóstica; Avaliação contínua: Avaliação sumativa; Avaliação de desempenho dos formadores; Avaliação da formação – questionários de satisfação do formando e formadores.
Certificação
O Certificado Profissional da INCURSO é emitido no fim da formação através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO), na área criada especificamente para o registo das ações de formação não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações, ao abrigo do n.º 6 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro e Portaria n.º 474/2010, de 8 de Julho, ficando associado ao Passaporte Qualifica - Registo Individual de Competências do formando.
- No final do curso os formandos que obtiverem registarem assiduidade mínima de 80% e aproveitamento têm direito a um Certificado de Formação Profissional conforme legislação em vigor.
- Os formandos sem assuidade mínima e/ ou aproveitamento recebem uma Declaração de Frequência de Formação Profissional, na qual onde constará carga horária e módulos da formação.
Mais informação