Segurança na Operação de Camião com Grua Articulada

Sob Consulta

Formação à medida – disponível para entidades

Pedir informações »

Pedir informações »

220/SOCGA

Description

O contexto da economia atual, a produtividade constituem uma fonte cada vez mais preponderante de vantagem competitiva, sendo a eficiência na operação de equipamentos uma premência incontornável.
Para além disso, os atuais requisitos legais e regulamentares relacionadas com a manipulação de cargas através de meios mecânicos, exigem que os operadores/manobradores tenham conhecimentos teóricos e práticos necessários à realização dos trabalhos em segurança, sendo a formação e habilitação dos operadores obrigatórios ao abrigo do art.º. 32º nº 1, do Decreto-Lei n.º 50/2005 de 25 de Fevereiro, segundo o qual ´Os equipamentos de trabalhos automotores só podem ser conduzidos por trabalhadores devidamente habilitados´.

Objetivos Gerais
- Identificar os riscos inerentes à atividade de operação de camião dotado de grua;
- Efetuar uma utilização correta, racional e segura deste equipamento.
- Operar uma grua aplicando as regras e normas de segurança.
Objetivos Especificos
- Identificar as partes constituintes das gruas hidráulicas montadas sobre camião e respetivas funções;
- Identificar os perigos e os riscos inerentes à manobra do equipamento (camião e grua);
- Saber interpretar tabelas e diagramas de carga;
- Conhecer as medidas de prevenção e regras gerais de segurança na operação do equipamento (camião e grua);
- Identificar os principais acessórios de elevação e movimentação de cargas;
- Identificar os riscos inerentes à utilização dos acessórios de elevação bem como reconhecer quais as medidas
preventivas a implementar para mitigar esses mesmos riscos.
- Conhecer as regras de segurança no manuseamento dos acessórios de elevação
- Conhecer o enquadramento legal relacionado com o fabrico e utilização das máquinas e acessórios utilizados na
elevação e movimentação de cargas
- Conhecer a sinalização gestual utilizada na elevação e movimentação de cargas
- Saber operar a grua em condições de segurança
Programa
1. Princípios básicos de higiene e segurança no local de trabalho
a) Sensibilização para a segurança no local de trabalho
b) Principais causas de acidentes de trabalho
c) Equipamentos de trabalho com maior incidência de sinistralidade

2. Análise e prevenção de riscos
a) Consequências dos acidentes de trabalho
b) Principais riscos associados à manobra de camiões grua

3. Movimentação mecânica de cargas
a) Princípios de estabilidade e distâncias de segurança
b) Elevar, transportar e manobrar e assentar ou descarregar a carga

4. Regras de segurança durante a operação
a) Regras de atuação
b) Sinais convencionais para operações com equipamentos de movimentação e elevação
de cargas
c) Proteção individual

5. Regras de utilização dos elementos de elevação
a) Identificar os acessórios de preensão de cargas: Inspeção de cabos de aço, lingadas,
verificação de guinchos, tipos de lanças
b) Regras de utilização dos elementos de elevação
c) Diagrama de cargas
d) Tipos amarração/regras para vários tipos de carga

6. Manutenção da máquina
a) Procedimentos de manutenção
b) Inspeções de rotina
Destinatários/as
Trabalhadores que no exercício das suas funções utilizam a grua hidráulica articuladas para a elevação/movimentação de pessoas, materiais, ferramentas e equipamentos.
Coordenador Pedagógico
Mariza Moreira
Metodologias de Formação
Todas as ações de formação abrangem métodos e técnicas de formação diversificadas, adequadas pelos formadores às características dos formandos, aos conteúdos a abordar e ao momento formativo.
Recorremos sempre a metodologias adequadas aos adultos. Nesse sentido, a formação é desenvolvida com uma componente essencialmente prática, tendo em conta os interesses e as motivações do formando, de modo a permitir-lhe aperfeiçoar os seus saberes e capacidades, rentabilizando-as em todas as esferas da sua vida.
Por estes motivos, privilegiamos a utilização de metodologias não-diretivas, nomeadamente, de métodos ativos, uma vez que estes facilitam a responsabilidade a autonomia do formando na construção dos saberes, envolvendo-o na pesquisa, análise, reflexão e resolução de situações-problema.
Métodos de Avaliação
Metodologias de Avaliação: A avaliação é um elemento essencial numa formação, constituindo-se como um espaço de reflexão crítica sobre todos os momentos e fatores que nela intervêm. Nesse sentido, consideramos fundamental avaliar não só o percurso formativo do formando, mas também a qualidade da ação de formação.
A avaliação do percurso formativo do formando assenta numa permanente interação com os mecanismos de controlo dos resultados da aprendizagem ao longo do processo da formação.
Porque é um exercício contínuo integrado no ciclo formativo, iniciado no diagnóstico de necessidades e deteção de lacunas que a Formação visa preencher, finalizado nos resultados alcançados e na definição de medidas corretivas ou reguladoras, ajustadas às necessidades identificadas nos formandos, compreende três momentos: avaliação inicial, formativa e sumativa. Em última instância, os resultados obtidos constituem também um dos elementos de validação do próprio processo formativo. A avaliação das aprendizagens é abrangente, combinando avaliações contínuas, como exercícios práticos e participação ativa, com avaliações pontuais, como testes escritos ou práticos. As classificações são atribuídas com base em critérios claros, valorizando a participação e o desempenho individual.
A avaliação da ação de formação é a monitorização sistemática de uma intervenção formativa, através do recurso a padrões de qualidade de referência, com o objetivo de produzir juízos de valor que sustentem a tomada de decisão futura relativamente à intervenção e aos seus resultados.
Certificação
O Certificado Profissional da INCURSO é emitido no fim da formação através do Sistema de Informação e Gestão da Oferta Educativa e Formativa (SIGO), na área criada especificamente para o registo das ações de formação não inseridas no Catálogo Nacional de Qualificações, ao abrigo do n.º 6 do artigo 7.º do Decreto-Lei n.º 396/2007, de 31 de Dezembro e Portaria n.º 474/2010, de 8 de Julho, ficando associado ao Passaporte Qualifica - Registo Individual de Competências do formando.
- No final do curso os formandos que obtiverem registarem assiduidade mínima de 80% e aproveitamento têm direito a um Certificado de Formação Profissional conforme legislação em vigor.
- Os formandos sem assiduidade mínima e/ ou aproveitamento recebem uma Declaração de Frequência de Formação Profissional, na qual onde constará carga horária e módulos da formação.
Mais informação
Testemunhos